24.5.09

Sou católica, ou pelo menos tentaram-me instruir para o ser. Sempre foi uma daquelas coisas que me fez muita confusão. Mandaram-me para a catequese, baptizaram-me e tudo o mais que havia para fazer, ía todos os Domingos à missa, ía às procissões e a todas as comemorações religiosas. Continuava a achar aquilo tudo muito estranho. Nunca questionei, nem me deixavam questionar. Apenas fazia o que me mandavam. À medida que fui crescendo sentia-me sempre mais obrigada a cumprir aqueles rituais. Começava a inventar desculpas para não ter que participar. Deixei-me de identificar com tudo aquilo, talvez nunca me tenha identificado, será o mais provável. Ainda assim, quando tinha algum problema rezava e pedia que tudo passasse, porque acreditava na existência de Deus. Independentemente do tempo que demorava até esse problema passar acreditava que tinha sido Ele. Hoje reparei que há largos meses que não faço isso e tenho passado a manhã  a pensar no porquê. Nos últimos meses cada vez que tive uma merda na vida, sabem, daquelas merdas que nós pensamos que são o fim do mundo mas que não o são? Cada vez que tive uma merda dessas não me passou pela cabeça sequer fechar os olhos e pedir "Por favor, faz com que tudo passe." E isto tem-me fodido a manhã toda.

Categories:
L., às 13:05  comentar

De Raciocínico a 24 de Maio de 2009 às 14:18
Ser ateu é giro, pá.
Mas não vás ler o meu blog para confirmar se te estou a dizer a verdade.

De Rita a 24 de Maio de 2009 às 22:55
Leonor, nasci católica, tornei-me agnóstica. Tenho pena. Muito tempo mesmo questionava as pessoas do porquê de acreditarem num deus. Mas questionava mesmo, para tentar perceber. Agora acho que começo a perceber; como muita gente diz não importa o fim, o que importa é a viagem; e a religião é quase o mesmo, o que importa é acreditar em alguma coisa, ter objectivos. Acho que a verdadeira religião serve para te ajudar a fazer uma auto-introspecção (se existe esta palavra (: ) e a saber estares sozinha contigo própria e não teres medo, a conseguires estar sem pensar em nada. Tenho pena de as pessoas destinadas a isso não nos saberem transmitir. Tenho pena de ter perdido a fé. I'm trying to! :) *

Fucking lamechas eu! :)

De L. a 24 de Maio de 2009 às 23:39
Eu ainda tenho fé, estou é a tentar perceber no quê. Não me identifico é com o catolicismo por uma serie de tretas. Mas esta coisa agora fez-me confusão, porque antes eu era muito do tipo de cada vez que tinha um problema rezava, não dizer orações tipo Pai-Nosso e afins, falava com Deus e deixei de fazer isso.

De Rita a 25 de Maio de 2009 às 00:48
Mas não estás a ver? Leonor! Basta pensares no que queres realmente, já é bom. Dedica o teu tempo a ti. E não interessa para quem falas quando estás sózinha, desde que fales. "That's the point". Não ponhas a tua vidinha numa guestlist! :)


Claro que isto é só a minha opinião!
Boa noite e dorme bem.

De Paulo a 25 de Maio de 2009 às 16:29
Eu diria que se trata de uma inversão não do que fomos, mas do que nos fizeram ser, se se tornou efectiva. Talvez estejas completamente desprendida desse habito. Eu pelo contrario não fui baptizado , nem tenho qualquer tipo de religião, mas vi-me recentemente a pedir ajuda divina, ou lá como posso chamar-lhe, isto porque dei um nó tão cego na minha vida, que recorri a um recurso que para mim não o era. A esperança é muito reduzida, porque o próprio nó, me parece atado irremediavelmente.

Isto vale o que vale, e é apenas a minha opinião.

Beijo

De blurred a 25 de Maio de 2009 às 21:08
tem piada, eu nunca fui e nunca me obrigaram a se-lo. no meu 9º ano, estava decidida a baptizar me e seguir essa vida... 10º ano fui para um colégio catolico, e a partir dali tirei logo isso da cabeça! tenho amigos q entraram lá catolicos e sairam agnosticos ... isto porque ali sentimos oq a igreja realmente é, pensa, e como age :/ as pessoas podem acreditar, e simplesmente nao terem esses rituais porque é suposto ser um amor individual, mas no fundo, é tudo em funçao de regras


"...things don't have to be extraordinary to be beautiful.
The ordinary could be just as beautiful."

Wicker Park