15.4.09

Gostava de te ter aqui, mais ontem do que hoje, mas agora torna-se difícil encontrar razões para o desejo. Aos meus olhos já nada tem a cor que me convêm e toda a vida será insuficiente para desculpar  tudo aquilo que não aconteceu. Que desculpa ainda te justifica? Até parecia que nunca mais iria ficar só. O cheiro ainda flutua pelas coisas. Há gestos que evito fazer, momentos do dia aos quais tento fugir. Sabes as palavras? Irrita-me as pessoas que roubam as tuas palavras quando já nem tu as usas em mim. Depois é o peso dos lençóis, o peso da água que cai no corpo. E tu sabes que eu suportaria todo esse peso em teu lugar. Sabes não sabes? Quando me mentes para não me ferires amor, quando o fazes... se pudesses ver como isso às vezes me magoa.

Categories:
L., às 19:17  comentar

De A. a 16 de Abril de 2009 às 10:33
Nostalgia do que não aconteceu...
Parece que somos muitos os que sofrem dessa maleita.

"...things don't have to be extraordinary to be beautiful.
The ordinary could be just as beautiful."

Wicker Park