22.3.09

"Desconfio que há coisas que nunca nos vamos poder dizer por palavras. Há olhares demasiado fortes... Sexta-feira senti toda a tristeza do mundo num desses olhares. E ao mesmo tempo que os sentia, pensava para mim no quão terrível e devastador pode ser um único momento. E a maneira como sabemos que nos vai ficar na memória para sempre. Depois, depois aquele carro era demasiado pequeno para todas as coisas que sentia. Como podes achar que, ainda por cima com as janelas fechadas, ia tudo caber ali dentro?! E eu sem forças. Na verdade queria poder dizer-te todas as coisas que sentia. Queria poder passar todo o tempo do mundo a explicar-tas. Não deixaste. Queria que sentisses. Que te envolvesses. Que te deixasses levar. A química... sempre a química. É lixada... sempre to disse. Sempre gostei de ti pelo que és. E nunca gostei de ninguém tão sensata e sinceramente. Mas esperava mais de ti. Por um único motivo: Porque sei que és MUITO mais. Apesar da dor da ausência, da distância, dos olhares e das palavras que não vamos trocar. Apesar de todas as coisas que me fazes sentir, das vezes que me evitas, das expectativas e das desilusões...

Um beijo*"  

Categories:
L., às 14:20  comentar

De Nuite a 22 de Março de 2009 às 21:03
existem tantos sentimentos para serem explorados ...
( de tantas formas ... )

Ana

"...things don't have to be extraordinary to be beautiful.
The ordinary could be just as beautiful."

Wicker Park