14.5.09

Há silêncios que incomodam. Aqueles ao telefone, em que não sabemos para o que estão a olhar do lado de lá da linha, o que estão a pensar. Ficamos mesmo na dúvida do quão grave poderá ser aquele silêncio. Começamos a repetir as palavras que o outro diz, na esperança que ninguém repare que ali existe um silêncio. Tentamos procurar assunto quando o nosso cérebro ficou emperrado e só ouvimos uma vozinha "sai daqui, sai daqui". Há silêncios. Há os dos outros e há o teu, em que sei que quando deixares de falar é porque ficaste a pensar em mim. Silêncios desses não os interrompo eu, amor.

Categories:
L., às 20:44  (1) comentar

"...things don't have to be extraordinary to be beautiful.
The ordinary could be just as beautiful."

Wicker Park